quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O ataque à Sócrates

O primeiro-ministro repudiou, esta quinta-feira, "mais uma vez e com indignação, as notícias difamatórias" sobre o seu envolvimento no licenciamento do projecto Freeport. E vitimizou-se ao dizer que enfrenta de novo uma "campanha negra com as técnicas habituais da deturpação e da insídia".
Reparem bem nos termos que o PM usa: "Quero repudiar, mais uma vez e com indignação, as noticias difamatórias que a meu respeito têm sido divulgadas e alimentadas na comunicação social a propósito do licenciamento do projecto Freeport". E há mais: as noticias que apontam para o seu envolvimento no caso Freeport resultam de «fugas de informação» e de «informações caluniosas», lembrando que passou pelo mesmo na campanha eleitoral de 2005.
A culpa será dos jornais, revistas, rádios e televisões que trouxeram a lume os factos?

5 comentários:

amsf disse...

Este comentário não é necessáriamente para ser publicado.

Factos!?

Curiosamente já encontrei na blogosfera "factos" sobre certos jornalistas e no entanto não os encarei como "factos"! Terei que rever a minha concepção de "facto" e ignorar a possibilidade de muitos "factos" serem mentiras repetidas muitas vezes até encontrarem mentes mais receptivas onde se alojar...
"Com a Medida com que Tiverdes Medido, Também Vós Sereis Medidos"(Mateus 7, 1-2)

Donato Paulo Vares Macedo disse...

Quantos portugueses têm o seu nome apenso às malhas da justiça, com a sua identificação publicamente associada a vários casos, mas nem por isso merecem qualquer comunicado da PGR ou "tempos de antena"?
Será mesmo a justiça igual para todos?
Se todos os actores sociais soubessem exactamente qual a sua missão, os governos governavam e as magistraturas judiciais aplicavam a lei.
Aos media cabe a nobre missão de informar. (Ainda bem que a PGR e o Primeiro-Ministro reconhecem isso nos seus comunicados apaziguadores).

Ricardo Miguel Oliveira disse...

Em relação ao comentáro de AMSF, importa esclarecer que nem a PGR desmente que a polícia inglesa esteja a investigar suspeitos em Portugal.
E convinha não misturar factos provados com o lixo escrito sobre jornalistas ou quem quer que seja e que abunda em blogues de gente que não dá a cara.

Paulo Gomes disse...

Ainda gostava de saber o que são factos provados nesta saga do Freeport. Também classificar como lixo tudo o que se escreve sobre jornalistas ou outra "gente", não é boa política.
Até porque, anónimo ou não, tem direito a opinar. O que custa ver são os identificados que fazem, frequentemente, comentários anónimos. Por alguma razão não querem dar a cara...
Paulo Gomes

Anónimo disse...

Estou comovido com o que estão a fazer. Até já me apetece chorar!